Os 6 tipos de condutor macho

HOMER DRIVING

É em manhãs de trânsito como a de hoje que começo a achar que a maneira de guiar diz muito sobre o tipo de homem: o seu calibre, as suas maneiras à mesa, o tipo de léxico, a sua forma de estar numa relação amorosa.

E quem melhor para simular um estudo científico sobre o tema? Eu não, de certeza, mas é o que se arranja.

Depois de muita investigação, cheguei às 6 categorias universais que dividem os machos que vemos na estrada:

1. O Brusco.  Egocêntrico e imprevisível, o Brusco põe à prova o mais robusto dos estômagos.  O/a infeliz que calhe à pendura é um fantoche nas mãos do destino.  Trava, acelera, trava a fundo, arranca, com o airbag sempre à beira de explodir. No carro do Brusco, uma volta pela serra não é lazer, é sobreviver. Mas depois de 287 curvas, 976 solavancos e 1 bolçado no tablier, viver ou morrer já é secundário.

2. O-Que-Anda-Na-Reserva.  Também conhecido como Livin’ On The Edge. O rei do ponto morto.  Bícep trabalhado derivado de empurrar o bólide rua acima. Põe 5 euros de cada vez, e delira quando a bomba lhe dá 1 cêntimo a mais sem querer.

3. O Acelera. CAGANDA BOSS. Faz vrrum-vrrum antes de arrancar só para mostrar a potência do bicho. Adora fazer máximos aos que só vão a 200km/h, abram alas para o N’audi! Quando o pendura abre a janela, esgueiram-se-lhe fios de baba involuntários pela boca fora. A viatura do Acelera nem sempre é visível a olho nu, nem mesmo “cus néons” azuis. Sabemos que passou porque alguém gritou  ANDA CÁ FILHA QUE O PAI UNTA-TE! para o par de mamocas na paragem.

4. O Buzinão. Aquele que quando buzina nunca é para alertar perigo – razão pela qual existe realmente a buzina – mas para nos dar uma lição de Código da Estrada quando estamos a fazer algo mal. Quando olhamos pelo retrovisor está sempre a gesticular, nítida linguagem corporal de vai para o pi.  

5. O Empata. O Domingueiro da 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª. Respeitador dos limites naquele nível que dá vontade de o culpar por todos os problemas do país. Irrita-nos sobremaneira quando destapa o argumento “Mas o limite aqui é____”. Usa óculos para ler os limites, e puxa o cós das calças ao nível dos mamilos.  Empata o trânsito, a pressa dos outros, o universo em geral, e a vida sexual da esposa em particular. Para este condutor o volante não se agarra, abraça-se.

6. O Cheira-Rabos. Conduz uma pilha de nervos com pneus. Tão, tão perto do carro da frente que a narina inala directamente do tubo de escape. Nunca quis deixar de brincar à Linda Falua.  Se não for capaz de contar o número de mosquitos esbardalhados na traseira do da frente, não está suficientemente perto. Quando se juntam vários = choque em cadeia.

Aconselho um diagnóstico detalhado antes aceitarem uma boleia.

Com os melhores cumprimentos,

Dra.Bumba

Anúncios

4 Comments Add yours

  1. Beatriz SM diz:

    Literalmente choro a rir com este blog! É excelente, passo a vida a mostar às pessoas!

    1. Rita G diz:

      Acabei de o descobrir, estou a adorar, muitos parabéns 🙂

  2. Ainda há o comentador com palavrões à mistura, que tem sempre uma crítica a fazer a todos os que circulam. Costumo andar frequentemente com um destes e é de estoirar com os nervos, juro.
    Este blogue faz-me rir até às lágrimas, sempre!

  3. RaceJay diz:

    O pior mesmo é as tipas que vão a meio das auto-estradas, a 80Km/h a mexerem na merda do smartphone a postarem tretas no Facebook!!!

    FO**-SE CARAL**!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s