Aquele momento em que…

…alguém usa deixas dignas de Braveheart numa reunião de trabalho e é impossível reprimir a imagem mental do nosso interlocutor vestido de kilt, com a banda sonora em crescendo por trás: – “Se não atingimos os objetivos, não foi por falta de dedicação.” (flauta) – “Perdemos a batalha mas não perdemos a guerra.” (tambores) –…

É no primeiro garfo à direita

Não há nada mais ternurento do que aquele momento em que nos estão a dar direções para um caminho, nós não percebemos um boi, e a pessoa que nos está a tentar explicar exaspera, desiste de esbracejar, e começa à procura de formas alternativas de explicação em objetos vizinhos completamente aleatórios. Normalmente começa assim: – “Nós…

Tarecos? Não,obrigado

Ai, aquele momento em que as mães nos incitam a ficar com um móvel antigo de família. O que é que nós vemos? Um bisonte de madeira velha, que não cabe nem combina. Como é que lhe dizemos que não queremos? Não podemos. Já percebi que isto acontece naquele momento da vida dos pais em…

Tão novas e já falávamos esperanto.

“Aona Aona adê, Ai mini mini mai ai ai, tutti fai ai ai, papagai ai ai, uni cep cep cep, uni cip cip cip, uni sop sop sop, uni sup sup sup.” Que verso é que me falta aqui? Vou queimar pestanas enquanto não me lembrar. Lembro-me de haver qualquer coisa com “macarroni”, mas eu…

Onde andam as mascotes dos cereais?

O que é feito do Pico, do Capitão Estrela e daquela abelha em ácidos dos Cheerios? E o tigre Tony dos Frosties, com o lenço encarnado ao pescoço, que parecia o mais bem-resolvido deles todos? É que nunca mais os vi, estou convencida de que foram completamente banidos da televisão. E vê-los nas embalagens dos…

10 dicas para o aspirante a idoso/a

Estive a pensar e acho que vou começar a ser idosa antes de tempo. Raciocínio: Ser jovem neste país significa ter 50 anos de trabalho pela frente até à reforma. E durante esse meio século no activo o mais provável é vivermos fenómenos matemáticos tão inéditos quanto a relação incestuosa da hipotenusa com os catetos: os…

“És fofinhuhh, Mor” já dizia Camões

No meio é que está a virtude. E a virtude que é falar português como deve ser não tem sido apanágio de todos. Vamos falar sobre as pessoas que gostam de roubar letras às palavras. Como por exemplo a letra A, em palavras como “Miga”, ou “‘Mor”. Assim sem mais. Ora, este é o novo…

E em 2075, o que é que vai ser vintage?

Ontem foram os 88 anos da minha avó. 88 primaveras, 64 das quais passadas ao lado do meu querido avô Vitinho, que conta já com 99 Primaveras. É muita Primavera. Enquanto a minha avó me contava as deliciosas histórias do costume sobre os bailes de antigamente, a música em discos de vinil, os seus ídolos masculinos…