Barcelona, onde todos os turistas são pardos (ou parvos?)

Voltei a Barcelona, a cidade que me deu colinho em Erasmus. Foi estranho ter saído como estudante-hippie-cenas e voltar como trabalhadora-corporate-cenas. Não foi certamente por ter uns cobres a mais que deixei de fazer a vida low-cost a que me habituei por lá: andar de metro, ficar em casa de amigos, fazer rally de tapas…

“Há-de vir patrão, há-de vir.”

Quem me conhece sabe que há poucas coisas que me irritam mais do que alguém me mandar um “vais de férias? outra vez?!”. Como se eu coagisse o calendário civil a dar-me mais dias úteis do que os 22 de toda a gente. Não, eu não tenho mais férias que os outros.  E os oceanos…

Lembrei-me de porque é que é tão bom viajar

Quando cheguei a Tenerife em trabalho tinha à minha espera um hotel de 5 estrelas daqueles com salgadinhos volantes a circular e toalhetes cítricos para tudo. Até o suor do ginásio era aromático. As minhas férias começaram verdadeiramente quando saí do hotel de 5 estrelas e tomei posse do meu Corsa alugado para chegar a…

Para quê montanhas-russas se temos aeroportos?

Os aeroportos são autênticas montanhas-russas de emoção. Hoje testemunhei este argumento, e é de um avião em plena turbulência que vos escrevo. Vamos por partes: Primeiro, o taxista que me vai levar ao aeroporto da Portela jurou-me a pés juntos que a Segunda Circular estava a “andar bem” mas por coincidência 3 veículos decidiram colidir…