Eis o histórico das minhas 138435 dietas até agora

. Duram no mínimo 1 dia e no máximo 3 dias

. Nesses 3 dias, 2 são “os da asneira”

. Faço questão de me pesar com camadas de roupa para poder culpá-las;

. Qualquer redução insignificante de peso é celebrada com uma alarve pratada de comida;

. Qualquer aumento insignificante de peso faz-se acompanhar do racional “perdido por cem, perdido por mil” e de uma alarve pratada de comida;

. Ao fim de 3 dias em sofrimento relativo ludibrio a minha mente com pensamentos carpe diemistas ao estilo “a vida é demasiado curta para fazer dieta”; conclusão que precede, pasmem-se, uma alarve pratada de comida;

. Pensar em dieta faz-me fome, seja a que horas for. Só para verem o excesso de mimo deste hipotálamo que aqui está.

. Se continuo assim vou virar uma chaimite de banhas antes dos 30.

Hoje é o dia em que isso muda. Por duas razões:

1º Porque fiz uma aposta e, vendo bem as coisas, gosto ainda menos de perder do que de passar fome;

2º Porque assumir publicamente uma dieta parece-me uma forma tão válida como qualquer outra para me ajudar a cumpri-la.

Et voilá, estou de dieta, a começar hoje. Faço já algumas ressalvas:

1. Recuso alimentar-me à base de aipo e pepino, este corpinho precisa de sustento;
2. (para se ler com entoação de Ágata) – Podem tirar-me a charcutaria, os refrigerantes e os fritos, mas não me fiquem com o arroz!
3. Não me responsabilizo por aquilo que aqui for escrito durante os períodos de maior carência.

Wish me luck.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s