Diz-me que álcool ingeres, dir-te-ei que idade possuis #1

Classe dos 15 aos 18 anos – A Descoberta

A idade das bebidas de cores fluorescentes, que se botam pela goela abaixo sem qualquer tipo de reflexão prévia. 
A descoberta do Pisang Ambon com cor de bomba de nitrogénio, o Safari Cola com sabor a xarope para a tosse, o Blue Corazón que valha-me-Deus, o vodka preto que deixava a boca como se tivéssemos lambido alcatrão fresco e, claro, o Gold Strike, que vai deixar sequelas no cérebro para sempre. 

A idade do fascínio desmesurado por shots, principalmente por aqueles circenses que se bebiam em chamas e queimavam os pêlos do buço, ou aqueles que requeriam toda uma coreografia mimética de lamber o sal, trincar o limão, fazer o pino e bater palmas com as nalgas (ou, para os que já estavam demasiado trêbados e nunca percebiam as instruções – lamber as palmas, e ver o limão a fazer o pino, enquanto se trincava as nalgas polvilhadas com sal)

A idade em que o álcool era um verdadeiro catalisador de coisas novas – a primeira saída à noite, a primeira incursão pelo gregório, a primeira mentirola aos pais (“eu só bebi coca-cola, o jantar é que me caiu mal…”), o primeiro contacto com um par de maminhas de carne e osso, a primeira passa num cigarro – só que ninguém sabia travar e ficava ali uma bola de fumo desgovernada na sala, a fazer arder os olhos.

A idade em que acontecia aquele episódio que nos vai marcar para sempre: abusámos de determinada bebida, apanhámos a chiba da vida, que por sua vez nos fez bolçar bílis a noite toda e que, no dia seguinte, com um ressacão que nos deixou acamados até às 20h, nos fez jurar que nunca, nunca mais nesta vida voltaríamos a beber daquilo. 
Volvidos 20 anos, bastará o cheiro de dita bebida para pôr o nosso estômago a dançar o Créu com as más recordações e inflamar um incontrolável desejo de bolçar. No meu caso, RIP Vodka-limão.

Bons tempos.

Partilhem com o amigo que vos segurou na cabecinha durante a vossa primeira incursão pelo gregório.

Anúncios

One Comment Add yours

  1. Catarina diz:

    No meu caso, RIP Whisky com Coca-Cola 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s