Weddings are coming…

Questões que me corroem por dentro:

Agora que a época de casamentos está a chegar, há injustiças que encanitam. Nomeadamente a questão da logística fêmea VS logística macho no que à indumentária diz respeito.
Analisemos ao detalhe as tarefas que cada um tem pela frente:

Homem:

1. Usar o fato de sempre.
2. Escolher uma das 3 gravatas de sempre.
3. Tomar um banho para não cheirar a cavalo
4. Fazer a barba.
5. (já a roçar o metrossexual) Passar um pente.

Mulher:

1. Escolher um vestido num universo de 1476174. Só que tem algumas regras: não pode ser branco porque compete com a noiva, não pode ser muito “noite” porque o casamento é de dia, não pode ser descascado atrás porque vê-se o soutien, não pode ser sem soutien porque notam-se os pipos, e não pode ser slutty porque pronto. Restam-nos 4 ou 5 no mundo, e, regra geral, ou assentam mal nas ancas ou ficam a nadar no mamaçal.

2. Escolher sapatos de salto, e inventar palmilhas (mas dói na mesma) e meias de descanso (não funcionam) mas trocar logo para os rasos, muitíssimo antes do planeado. Escolher rasos aceitáveis, que não tirem todo o glamour ao resto.

3. Escolher a écharpe, a pochete, os brincos/colar/anel/pulseira e o Diabo a sete respeitando rigidamente os pantones do vestido e dos sapatos. Duvidar mil vezes se “não será demais”. Escolher anéis da avó para passar o tempo todo com medo de os perder. Escolher brincos pesados como bigornas que provavelmente vão rasgar o seu caminho para fora do lóbulo.
4. Marcar manicure e pedicure. Escolher pantone consoante o vestido, a écharpe, a pochete, os brincos e o colar. Agir como um T-Rex até ao dia do casamento, usando as patas o menos possível para não descascar o verniz.

5. Marcar cabeleireiro. Escolher um penteado. Levar referências. Poluir a estratosfera com 45dl de laca.
Penteado original já é irreconhecível a meio da homilia.

6. Tratar da maquilhagem. Escolher tons. Tentar não chegar ao final a parecer um traveca. Tentar não coçar involuntariamente. Tentar não chorar de comoção para não borrar (o ideal é avaliar os frescos do tecto da capela enquanto a amiga noiva caminha para o altar – nunca fiando)

7. Montar toda esta estafadeira em menos de 4h.
Só apetece chegar ao cocktail, virar 4 gins e acabar a noite a dançar descalça, sem penteado, com maquilhagem tipo Joker do Batman, a lançar loucamente as pernas à can-can ao som de “I Will Survive”.
E até sobrevivemos, apesar de tudo.

3 Comments Add yours

  1. Fazer a barba?! Não quererá dizer aparar a barba?!

    E depois há as meninas que tem de ouvir os “seus” homens dizer bem de quase todos os vestidos, gostar ainda mais do mais sexy e estar mais preocupadoS com a lingerie e se a podem despir no fim do copo de água…

    Boa sorte com isso.

  2. amelia coutinho diz:

    genial! Chorei a rir 🙂

  3. Jacob Levi diz:

    E que tal pensar que:
    – os homens aguentam um fraque / fato e gravata quando estão 30º à sombra (e quando é fraque, não vale “esquecer” o forno do colete;
    – as mulheres vão com umas cenas frescas, pernas ao léu, etc.
    Ah, e tirar o casaco à mesa é uma selvajaria. Até na pista de dança, mesmo com um bafo do pior. Vá, quanto muito depois de os tios começarem a bazar lá se pode permitir essa liberalidade. Nessa altura já suámos um litro…

Deixe uma Resposta para amelia coutinho Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s