Enquanto estávamos distraídas, os homens começaram a depilar-se.

093c359213a766165e25f8ec6e8eafca

E quando o mundo estava prestes a voltar ao normal, eis que o Homem decide depilar-se.

De forma peremptória e sem aviso prévio, o pêlo masculino perdeu o seu estatuto viril e machão e é agora um alvo a abater. Já não é só o Cristiano Ronaldo. Homens de norte a sul do país estão a barrar-se em cremes Veet para acudir aos desejos maléficos de Cleópatra.

A pinça já não é apanágio do metrosexual.
A monocelha caiu em desuso.

RIP linhas de pêlo facial contínuo, o expresso oriente patilha-barba-bigode-peito-púbis tudo junto, sem paragens. Esse comboio partiu para sempre do país do Zé Povinho, e levou os pêlos todos consigo.

E a partir de agora, onde antes havia uma manta farta de pêlos no peito, agora vêem-se dois mamilos solitários a pontuar uma extensão de pele Dodot.
Que só odiamos menos que essa mesma pele uma semana mais tarde, com os pêlos no estágio 1 de crescimento e a sensação de arame farpado ao toque.

Esta nova estirpe emergente de homem começa por aparar levemente, depois já rapa com a gillete da barba, depois vai buscar coragem para depilar com cera (curiosamente os dois receptáculos dessa coragem costumam passar incólumes – ironias da vida) depois é laser definitivo e, nos casos mais graves, vaselina a rematar por cima, como vemos na Casa dos Segredos.

Ora, há várias questões a debater sobre esta nova realidade.

Uma delas é estritamente territorial. A depilação era nossa.
Doía, mas era a nossa abraçoterapia, uma espécie de “Suíça” neutra, cúmplice pelo sofrimento, que unia a comunidade feminina, de resto tão divergente em tudo o mais.

Outra questão é vir redobrar a gravidade das nossas falhas no modus operandi do aprumo.
Não podemos sermos nós a ter um ou outro pêlo dissidente, quando o nosso mais-que-tudo nos apresenta uma virilha irrepreensível.

Mas o verdadeiro celeuma está, no entanto, em saber como é que nos sentimos com esta mulherização do sexo masculino.

Porque deste lado da dicotomia, é a nós que nos cabe continuar a apreciar a homenzarrada, em prol do futuro da Humanidade.

E não sei quanto a vocês, mas a ideia de tornar os nossos homens ainda mais imberbes parece-me um contra-senso natural, ilógico e acima de tudo anti-clímax, no que ao de mais animal nos diz respeito.

Porque o primeiro passo para apreciar é, antes de mais, distinguir.
(a partir do segundo passo já cada uma sabe de si – eu é mais latinos)

Sei que há por aí mulheres a apreciar. Pronunciem-se, se vos aprouver. Gostos não se discutem e eu não sou fundamentalista (até incentivo a abolição dos pêlos nas costas, que são claramente pêlos do peito sem rosa-dos-ventos que nasceram lá por engano)

Mas se é para negociar, estaria disposta a abdicar das sobrancelhas se me concedessem as pernas, da coxa ao calcanhar, incluindo aqueles pequenos ilhéus nos dedos dos pés.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s